Ações da ABAP e FENAPRO geram movimento pela retomada do mercado

dest_0596

Campanha da ABAP e FENAPRO estimula a retomada da normalidade econômica reforçando que a publicidade é um dos principais instrumentos que as empresas têm para reagir em momentos difíceis. A iniciativa vem ancorada em dados recentes levantados na Pesquisa Nacional de Perfil das Agências de Propaganda e processo de Design Thinking de Propaganda.

Com três anúncios, que serão veiculados por jornais e revistas de forma colaborativa, e ações digitais, a ABAP e a FENAPRO dão início a uma campanha, visando estimular a retomada da normalidade econômica. “Como o que movimenta de fato a economia são os negócios feitos no dia-a-dia pelo conjunto das empresas que competem pela preferência dos consumidores, é essencial que elas utilizem os instrumentos que ativam suas vendas, entre os quais a publicidade sempre se destacou”, pontua o presidente da ABAP, Orlando Marques.

Ele também lembra que “em épocas difíceis, de menor ritmo na economia, muitas delas se retraem e passam a operar apenas em termos defensivos, o que contribui para alimentar a espiral negativa, que afeta cada uma delas e o conjunto”. Foi pensando nessa situação e analisando o comportamento dos negócios em crises passadas, no Brasil e no mundo, que a ABAP e FENAPRO se uniram para demandar à Dentsu que criasse um esforço publicitário para ressaltar que o primeiro passo para voltar à normalidade econômica é adotar uma atitude ativa.

Inclusive porque a história prova que as empresas que se mantém atuantes em momentos difíceis enfrentam melhor esse período e tendem a sair dele em situação mais competitiva para aproveitar com maior vantagem os períodos seguintes, quando se registra aumento generalizado dos negócios. “A campanha lembra que a publicidade é um dos principais instrumentos que as empresas têm para reagir em momentos difíceis, inclusive para aproveitar o fato de que diminui a competição pela atenção dos consumidores”, afirma Gláucio Binder, presidente da FENAPRO.

Sobre a estratégia criativa da campanha, Mario D’Andrea, presidente e CCO da Dentsu Brasil, comenta que “muitas vezes ficamos parados, esperando que algo aconteça. E esse ‘algo’ não acontece exatamente porque ficamos parados. Isso se aplica perfeitamente à vida empresarial. No mundo dos negócios, tomar novas decisões é sempre muito mais produtivo do que não tomar decisão alguma. As peças desenvolvidas procuram mostrar como a publicidade pode ajudar a enfrentar momentos difíceis e encontrar novos caminhos”.

“E fazemos isso de duas formas muito claras, continua D’Andrea. Nos anúncios, abordamos o assunto através de analogias diretas com esportes. Nas redes sociais, partiremos para a prática, mostrando exemplos reais de cases de sucesso do nosso mercado, empresas que tomaram iniciativas diferentes durantes os últimos anos e obtiveram grandes resultados”.

A ABAP e a FENAPRO estão entre as muitas entidades empresariais que se mostram confiantes nos novos rumos da economia brasileira e entendem que cabe às empresas, individualmente, estimular essa retomada dos negócios, que tem início justamente com a ação de cada player do mercado, que podem contar com a publicidade como uma das ferramentas mais acessíveis e efetivas para buscar essa ativação no curto prazo.

Com esta campanha, as agências brasileiras, que atendem de forma regular a dezenas de milhares de empresas anunciantes, passam a ter mais um sólido argumento para estimular seus clientes a aproveitar o momento para manter e incrementar seus investimentos em publicidade, que têm o potencial de gerar o aumento de vendas de que todos estão precisando.

Reforçando o apelo da campanha, as entidades realizaram estudo recente que mostram os quadros que encontramos atualmente no mercado para traçar assim perspectivas de transformação que contribuam para alavancar o setor, como o trabalho de Design Thinking de Propaganda.

Sobre a Pesquisa Nacional de Perfil das Agências de Propaganda – Realizada pela Toledo & Associados, abrangeu 747 agências, das quais 63% na região Sudeste, 15% na região Sul; 9% no Centro-Oeste, 11% no Nordeste e 2% na região Norte. São agências de diferentes portes e estrutura, que contam com 16 anos em média de atividades; 90% não integram qualquer grupo empresarial; 86% não possuem filiais em outros Estados; seu portfólio inclui 15 clientes e 16 contas em média, com uma estrutura média de 20 pessoas por agência.

Sobre o trabalho de Design Thinking de Propaganda – Realizado em cinco regiões do País, contou com a participação de mais de 100 dirigentes de agências de propaganda. Conduzido por Gabriel Coelho, da consultoria Empodere-se, o objetivo do projeto foi o de estimular as agências a repensarem seu modelo de atuação, utilizando a dinâmica e os princípios do Design Thinking, um modelo mental que acelera a inovação e soluciona problemas através de um olhar humano.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s