Sinapro-Bahia investe em capacitação profissional com Fenapro com cursos acessíveis

man-791049-foto-pixabay

Com o surgimento das novas mídias digitais, o profissional de Publicidade e Propaganda está cada vez mais desafiado a vencer no mercado de trabalho. Todos os dias surgem novas plataformas, aplicativos e maneiras diferentes de fazer propaganda. Apesar do grande número de profissionais que saem das faculdades a cada ano, as agências têm encontrado dificuldade para descobrir profissionais que estejam realmente capacitados a trabalhar com as novas mídias. A saída para esse paradoxo é a capacitação.

Pensando nisso, o Sindicato das Agências de Propaganda do Estado Bahia – Sinapro-Bahia, em parceria com a Federação Nacional das Agências de Propaganda – Fenapro, vai desenvolver cursos de qualificação envolvendo os estados de Bahia, Pernambuco e Ceará, ao longo de 2017. O objetivo da iniciativa é promover cursos técnicos para as equipes das agências associadas ao Sindicato, nas áreas de Mídia Programática, Planejamento e Criação Digital. “Nosso intuito é deixar os nossos profissionais cada vez mais capacitados, oferecendo melhores resultados para os clientes das agências, já que essa nossa atividade é extremamente dinâmica e se recicla o tempo todo”, explica Gustavo Queiroz, presidente do Sinapro-Bahia. A entidade está buscando apoio de gigantes como Facebook, Google e Twitter, para que esses cursos sejam acessíveis.

A era digital – Segundo estimativas da consultoria PwC o crescimento médio anual da publicidade digital será de 12,2% até 2019, enquanto a mídia não digital deverá crescer apenas 1,2%. De acordo com pesquisa do IPG Mediabrands Magna, a mídia digital nos Estados Unidos deve superar a de TV pela primeira vez já em 2017, movimentando US$ 299 bilhões.

Essa revolução digital tem mudado principalmente o perfil dos publicitários buscados pelas agências. “A mídia digital mudou a forma de compra e interação dos consumidores com as marcas. Isto leva os publicitários, que criam mensagens para os consumidores, a terem que repensar seu modelo e seu perfil. Anunciantes e agências hoje buscam principalmente jovens que sejam antenados”, aponta Vitor Barros, vice-presidente de Atendimento e Gestão do Grupo PPG, que reúne as agências Propeg, Revolution Brasil e Invent Live Marketing.

Para o executivo, a dificuldade de encontrar profissionais no mercado de trabalho com esse perfil, se deve também a falta de clientes que tenham uma atitude digital. “Os clientes que trabalham o digital ainda estão trabalhando o básico de redes sociais. Em mercados, como o de São Paulo, por exemplo, os clientes enfrentam forte concorrência uns com os outros, o que estimula agências e os próprios anunciantes a inovarem e buscarem novas ideias em novas plataformas”, ressalta Barros.

Para Patricia Moraes, coordenadora dos cursos de Comunicação Social da Unijorge, não é só o perfil dos profissionais de propaganda que tem mudado com as mídias digitais, mas a publicidade como um todo. “O trabalho com análise de dados, inteligência artificial, internet das coisas e gestão do conhecimento. Nunca a publicidade teve tanta conexão com outras áreas como agora”, afirma.

O coordenador do curso de Publicidade e Propaganda da Universidade Católica do Salvador (UCSAL), Eduardo Andrade, lembra outro grande desafio do novo publicitário. “Os novos profissionais precisam entender que a publicidade não é só arte, é também negócio. E como tal, precisa ser fomentado e desenvolvido no contexto empresarial do plano de negócio e na busca do empreendedorismo”, garante.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s